da Terra e do Território no Império Português

Início » Covas » Covas

Covas

As covas, também chamadas furnas dos mouros ou matamorras, eram silos subterrâneos destinados ao armazenamento de cereal em grão ou de junça (cova de junça), escavados em terrenos secos e com boa drenagem de superfície, periformes e de tamanho variável, podendo atingir os 3,5 metros de altura e os dois metros de diâmetro, com o gargalo, mais estreito, coberto por uma tampa de pedra. Santa Rosa Viterbo (1798) assegura que o uso de covas para guardar o cereal ainda era comum entre os mouros, que as chamavam «atamorras, matamorras, e matmorras». Outrora conhecidas no sul de Portugal continental, o seu uso no arquipélago da Madeira (sobretudo em Porto Santo) e nas ilhas dos Açores, chegou até ao século XIX, tendo sido bastante generalizado, como atesta a toponímia dos lugares e os vestígios materiais ainda hoje existentes, particularmente nas ilhas de Porto Santo e Santa Maria. [A: Isabel Soares de Albergaria, 2014, 2015]

Bibliografia: Moraes Silva 1813: 489; Sousa 2012; Viterbo 1965: 222.

doi:10.15847/cehc.edittip.2014v062

Anúncios